Activate Kills Brasil

07-03-2013 Comentários .Galeria,Trouble

O fotógrafo Ben Cope liberou em seu site 3 novas outtakes do photoshoot feito com Natalia Kills no ano passado. O photoshoot está sendo usado nos banners da Natalia nos shows em boates, e é um dos ensaios cotados para o release do álbum Trouble para a imprensa, ou até mesmo para estampar a capa do álbum. Confira as fotos em nossa galeria:

[galeria id="280"]



Comentários .Demos,Lançamento,Música,Natalia Kills,Singles,Trouble

Parece que dessa vez vai mesmo! Kills divulgou em suas redes sociais um vídeo com o que parece ser uma demo de “Problem”, single que estreará no próximo dia 12. No vídeo pode ser conferidos os bastidores do photoshoot da capa do single, divulgada ontem. Confira:



06-03-2013 Comentários .Estreia,Galeria,Singles,Trouble

Após Natalia Kills postar em suas redes sociais a frase “6 days” (6 dias, traduzido do inglês), o Natalia Daily (que possui contato direto com a própria Natalia) divulgou que o primeiro single da era Trouble seria a música ”Problem“. A música já ganhou sua página na Amazon, porém ainda não foi liberada para venda (clique aqui para acessar a página). O single tem previsão de lançamento para 12 de março, com lançamento mundial no Itunes. Clique aqui para conferir a letra do trecho já divulgado da música. Confira abaixo, em nossa galeria, a capa do single e uma das fotos do photoshoot, ambas em HQ:

SINGLE COVER

[galeria id="382"]

PHOTOSHOOT

[galeria id="380"]

P.S.: Alguns estão confusos em relação a Problem ser o PRIMEIRO single de Trouble. Muitos acham/achavam que Controversy era o primeiro single. A música, na verdade, é apenas a introdução do álbum, e foi lançada como buzz do Trouble.



05-03-2013 Comentários .Eventos,Famosos,Galeria

A cantora Rihanna organizou um lançamento em Nova York para a sua nova coleção de roupas em parceria com a marca River Island, e entre as convidadas fashionistas para o evento, estava Natalia Kills. Além de sua música, Natalia chama muita atenção pelo seu estilo de se vestir diferente e, ao mesmo tempo, bonito. Confira em nossa galeria a foto de Natalia no evento:

[galeria id="381"]



04-03-2013 Comentários .Fãs,Twitter

Fazia um bom tempo que Natalia Kills não realizava um Q&A com os fãs no Twitter. Porém, na tarde desta segunda-feira (04), Natalia pediu as fãs que a enviassem perguntas. Separamos abaixo as respostas mais importantes, confira:

Ao ser perguntada sobre o número de faixas do Trouble, Natalia afirmou que o álbum possui 13 faixas, sendo que 10 já tiveram seu nome revelado (você pode conferi-las clicando aqui).

Natalia descreveu a sonoridade de Trouble como música pop de alto impacto feito por uma garota interrompida. As músicas possuem guitarras dos anos 90, baterias de hip hop no estilo do produtor Jeff Bhasker, baladas apocalípticas e hinos de menina malvada.

Ao ser perguntada sobre Bradford, sua cidade natal, Natalia brincou com o fato de que se sua carreira como cantora não der certo, ela abrirá uma loja de macarons aonde a pista de patinação no gelo costumava ser.

Ao ser perguntada sobre as músicas de Lana Del Rey, Natalia disse que ama todas as suas músicas, e que agradece a Deus por elas!

Um fã (que acabou mudando seu user para @LovexxxKills pouco tempo depois de Natalia o responder) perguntou quando o primeiro single doTrouble seria lançado, e Natalia respondeu “MUITO em breve”. A ênfase na primeira palavra deu a entender que teremos o primeiro single em alguns dias.

Natalia disse que sua paixonite quando adolescente foi pelo ator Leonardo DiCaprio.

Em resposta a um fã brasileiro, Natalia relembrou a todos que não dá um “nome passivo” para sua fã base. Ela considera cada fã individualmente, e não acha certo nomeá-los massivamente.

Natalia afirmou que não fuma, já que fumar dá rugas.



02-03-2013 Comentários .Eventos,Galeria,Performances,Singles,Trouble

Natalia Kills está em Nova York, e marcou presença na festa Westgay, na boate Santos Party House. Natalia, que já se apresentou várias vezes na festa, subiu ao palco às 2h da manhã. A setlist apresenta foi renovada: Problem foi a primeira, seguida de Free. Logo após, Natalia cantou Rabbit Hole, um pequeno trecho de Milkshake (da cantora Kelis), Feel Myself, e finalizando com Controversy. Em breve, as fotos do evento estarão em nossa galeria. Assista a performance abaixo, com opção de vídeo em HD:



Comentários .Entrevistas,Galeria,Revistas,Trouble

No fim do ano passado, Natalia realizou um ensaio fotográfico para a revista ZINK Magazine, junto com uma entrevista sobre seu novo álbum Trouble e suas inspirações. Apenas agora, em 2013, a edição da revista foi lançada. Confira abaixo as páginas da revista, o photoshoot, e a reportagem traduzida.

REVISTA

[galeria id="376"]

PHOTOSHOOT

[galeria id="377"]

REPORTAGEM

Você se lembra de quando Britney Spears raspou suas icônicas “chuquinhas”, relevando não só um crânio deformado, como também uma obscura vulnerabilidade que fora escondida embaixo de sua saia de estudante desde Baby One More Time? Bom, Natalia Kills não precisa raspar sua cabeça para induzir ataques de bate-cabelo e balanço de dedos; ela cria a controvérsia apenas sendo ela mesma. Ela gosta dos queixos caídos, e mesmo tendo escolhido “Kills” como seu sobrenome (ela nasceu como Natalia Cappuccini), você precisa admitir que “Shocks” teria sido uma escolha mais sábia, porque Kills choca todos da maneira mais deliciosa e atraente, e seu estilo de dark-pop dá uma sentença de morte às outras cantoras. E, se você estiver procurando por uma sex tape ou um escândalo pessoal da Natalia Kills, pode desistir, já que a própria Kills irá escavar tudo de ruim nela mesma e irá dar tudo a você em um carrinho de mão de prata.
Did I say too much? / What is too much?“, é o que diz Natalia Kills em um trecho da música Boys Don’t Cry, uma das faixas de seu novo álbum Trouble. “Eu sempre falo demais de propósito, esse é o meu estilo”, diz Kills. Esse seu caráter vem além de sua carreira e de sua vida pessoal – ela gosta de experimentar coisas novas. “Em um encontro, eu definitivamente direi coisas esperando por uma reação, porque se você responder erroneamente, então saberei que eu não poderia ser a pior versão de mim mesma com você, e gostaria de saber isso na mesma hora… Eu gosto de um homem que não tem medo de falar que fui longe demais, mas que vá até lá comigo.”
Kills conversa comigo em um tom bem baixo, enquanto sentamos para tomar um chá no clube privado Norwood, em Nova York, um forte contraste com nosso encontro anterior no estúdio do fotógrafo. Ela está vestindo um casamento perfeito entre o marrom, o preto e couro – um estilo que ela descreve como “brutalmente feminino, agressivamente sedutor e perverso”, e sua maquiagem de olho de gato é distrativamente marcante. Dada a natureza profissional das outras pessoas ao nosso redor, nós praticamente conversamos em sussurro  a medida que a energeticamente prolixa e anedótica performer fala abertamente sobre seus relacionamentos que deram errado e festejando como uma excluída. “Em todas as músicas eu estou consumindo drogas ou fodendo alguém”, disse Kills da cadeira de maquiagem no dia do ensaio fotográfico. Quando a música “Controversy” vazou recentemente, com letras como “calcinhas molhadas“, “DST“, “viciados em pornô” e “narcótico“, soou seguro fazer essa suposição, mas assim que nossa conversa continuou, a profundidade do assunto se tornou ainda mais perturbadoramente claro.
“Na verdade, “Controversy” não é bem uma música; é mais uma lista de tudo que está errado em nossa geração”, Kills explica, e a ironia de sua música se torna aparente. “É a nossa geração, nada mais é controverso, é apenas uma lista de coisas que você pode ou não ver na TV ou na internet – não tem um significado correto. É ineficaz. Não é controverso”, Kills é realística sobre o efeito da tecnologia em nossa sociedade, particularmente nas gerações mais novas, e sente que isso está avançando para um novo patamar. “Somos todos famosos, somos todos celebridades, existem meninas em Idaho que tiram fotos de cachorrinhos e cupcakes, e possuem mais seguidores no Instagram do que uma pop star com disco de platina, e eu sinto que agora todos nós somos famosos, então estamos todos em um nível elevado de importância”, ela explica.
Com um álbum titulado de “Trouble”, soa desnecessário perguntar se Kills se meteu em alguma encrenca quando criança. “Eu já entrei em várias encrencas”, Kills diz, imediatamente rescindindo. “Bom, Trouble não é apenas sobre mim, porque eu não me sinto como se eu fosse encrenca. Usualmente, eu fico meio que negando sobre o quão causadora de problema eu posso ser. Eu sinto que as encrencas são atraídas por mim. Crescer com um pai que foi más notícias”, Kills procurou pelo santuário dentro de seus namorados. “Eu sempre procurei pelos de coração mais puro, os melhores caras no planeta, para rejeitar qualquer tipo de encrenca, mas eles eram os que tinham os segredos mais obscuros e secretos, que faziam as piores coisas”. O próprio álbum é uma exposição da vida de Kills. “Uma pessoa me perguntou ontem: seu álbum é como uma terapia? Na verdade, não. É mais como uma confissão.”
De acordo com a artista de 26 anos: “O álbum Trouble é sobre meu pai e minha família passando por tudo; uma casa bonita, casas pelo mundo todo, lanchas e malas de dinheiro… Passando pelo momento ‘Porque nós temos todo esse luxo? ‘ até o momento que eu tive que visitar meu pai na cadeia, nós perdemos tudo e tivemos que passar a morar num conjunto habitacional do governo.” Trouble “lava” toda a “roupa suja” da vida de Kills: ateando fogo à casa do namorado depois de uma briga, fugindo de casa aos 14 anos e chegando até mesmo a querer dar um fim à vida. Como a mãe da Natalia reagiu ao ouvir o álbum? “Ela está bem agora. Deve ter sido difícil ouvir tudo que a gente viveu pela perspectiva de outra pessoa. Isso é meio simbiótico – o jeito que eu tive que me acostumar à criação deles é o mesmo jeito que eles têm que se acostumar a ouvir minha música.”
Nascida em Bradford “a cidade que até Deus se esqueceu” e criada em Londres, o maior desejo dela foi ter uma vida de glamour um dia. “Eu me sentia muito sem graça enquanto eu crescia. Eu sabia que nossa família era especial no contexto em que nós vivíamos, mas mesmo assim eu sentia isso. Eu não era bonita e minha ambição foi sempre ser e me sentir bonita.” Atuar foi o caminho natural do progresso para Kills, mas ela não gostava de ter que interpretar a identidade de outra pessoa e achou que era um compromisso grande demais. “Eu queria sentir-me linda e glamorosa. Não necessariamente famosa ou conhecida – eu só queria mais e melhor. Eu tentei outras áreas e antes de pensar em fazer música eu pensava que você precisava ser uma estrela do cinema pra ter a vida que eu queria.”
Mesmo antes dessa obsessão por glamour a vontade de escrever sempre esteve presente na vida dela. E mesmo muito nova, entre 6 e 9 anos, ela já escrevia poemas sobre tristeza, solidão e outras emoções. “Eu não sei por que eu escrevo; é meio que uma compulsão, uma obsessão. Musica é como uma forma inexplicável de expressão física pra mim, não tem necessariamente uma serventia, um propósito.” ela explica.
“Eu tentava ter empregos normais… mas eu sempre me atrasava ou distraía… De alguma forma escrever, pensar sempre me impedia. Eu sempre fui uma negação no que dependia das outras pessoas. Eu acho que fui forçada a seguir carreira a partir das minhas ideias e do que eu escrevia, de outra forma eu iria me tornar uma sem-teto pra sempre.” As primeiras críticas sobre seu trabalho achava incompreensível ela se chamar de escritora sem ter publicado um livro. “Eu dormia no chão da casa dos meus amigos, tinha um namorado péssimo e corria e escrevia coisas em pedaços de papel – pronto! A própria pressão de existir me forçou a tornar essa mania compulsiva de me expressar em algo útil que pagasse pelo meu aluguel e pelas minhas bolsas.”
Quando eu disse pra Natalia que ela foi chamada pra nossa edição Innovation, ela imediatamente mandou pelo seu iPhone ”Vamos ser específicos”, ela diz que o próprio perfeccionista define a palavra e digere seu significado. ”Eu acho que o fato de eu não ser a inventora ou a criadora talvez seja o porque eu sou inovadora, o que é um pouco contraditório”, ela reflete. ”O fato de que eu não estou inventando ou criando uma fantasia, é porque eu estou meio que expondo e confessando a terrível realidade de um jeito glamouroso e sem remorso, é isso o que eu ofereço para o reino da inovação.”
O que difere Natalia Kills de outros artistas é que suas músicas são completamente verdadeiras e baseadas em pessoas e experiências de verdade. ”Eu queria que alguém fizesse uma música sobre algo, e então eu vou trazer uma lembrança dolorosa que eu tenho e eu preciso expressar ou então ela vai me comer viva, de um jeito errado, então, se eu cantar essa música e ela soar como uma glorificação, não importa o quão horrível ela é, então você não está vendo uma versão errada de mim.”
Enquanto eu encerro a entrevista eu desejo a Kills que seu álbum tenha uma resposta positiva. ‘Não importa se não tiver! No final das contas, eu fiz pra eu mesma.” Ela responde de repente.
”Sabe quando você está na sua casa sozinho e decide ser super casual no seu próprio mundo querendo assistir alguma série trash (Honey Boo Boo ou qualquer outra coisa)… e eu vou fazer alguma coisa simples pra comer – tipo queijo grelhado ou Jacket Potato, alguma coisa que você não pode chamar seus amigos pra jantar na sua casa, mas é exatamente o que você quer. E pra mim é tipo assim se alguém não gosta da minha música ou não, eu fiz pra eu mesma porque era exatamente o que eu precisava fazer. Chame isso do que você quiser – 5 pratos, ótimo cozinheiro, comida rápida… qualquer pessoa que passa a gostar disso é um bônus encantador.



Comentários .Leaked,Performances,Singles,Trouble

Natalia Kills não para de cantar músicas novas de seu álbum Trouble nas boates em que ela se apresenta. Infelizmente, quase ninguém se dá ao trabalho de gravar, e ficamos no escuro quanto às novidades. Porém, um fã esteve em uma das performances, e gravou 2 minutos, em uma qualidade não tão boa, da performance de Rabbit Hole e Feel Myself, duas novas músicas do álbum Trouble. A primeira é a mais cotada pra ser o primeiro single do álbum. Clique aqui para assistir a performance das duas músicas. Ouça abaixo e comente com a sua opinião!



22-02-2013 Comentários .Entrevistas,Música,Singles,Trouble,Video

Natalia Kills fez uma rápida viagem a Bucareste, cidade da Romênia, para se apresentar na boate Beat Of Angels. Durante a festa, Natalia foi entrevistada pelo site Urban.ro, onde foi questionada principalmente sobre seu novo álbum Trouble.
Durante a conversa, Natalia revela que o álbum tem lançamento previsto para antes do verão americano, ou seja, antes de 21 de junho. Além disso, ela também revelou que cantaria o primeiro single do álbum no show que faria minutos depois. Porém, ela disse que o título seria revelado apenas mais tarde (veja um trecho da performance clicando aqui). Pedimos desculpas pela legenda no vídeo, enfrentamos alguns problemas quanto a sincronização e edição das legendas. Assista a entrevista legendada abaixo:


Page 1 of 2712345...1020...Last »